sábado, 10 de maio de 2014

Palestra "Violência Urbana e Artes Marciais", de Guto Maia e Beto Romero, na Anhembi Morumbi

Guto Maia e Beto Romero, de forma bem humorada, quase trocaram socos e pontapés para ilustrar a palestra "Violência Urbana e Artes Marciais", na Universidade Anhembi Morumbi.

O professor Guto Maia e o gestor Beto Romero, demonstraram de forma bem humorada que a autoestima e a cordialidade são fundamentais para que a convivência social aconteça de forma mais harmônica. Os imensos problemas urbanos que resultam em mais violência foram os principais temas de reflexão nessa palestra a convite de estudantes para seu trabalho da cadeira de Pedagogia (coordenação da profa. Telma Peralta, com as alunas: Erica MagossoCaroliny D'avanzo e Jeane Vital Santana, com intermediação do convite de Diego Coelho Dos Santos), na Universidade Anhembi Morumbi, campus Centro. 

Amigos há mais de 50 anos, Guto e Beto, demonstram que as suas diferenças não impedem que tenham como objetivo comum a necessidade fundamental da melhoria na qualidade de vida urbana, mesmo com pontos de vista divergentes, e como nesses anos todos (embora saindo na pancada de vez em quando), a amizade sempre prevaleceu e o diálogo sempre venceu.
Os dois amigos de infância se reencontram para fazer uma reflexão divertida dos seus pontos de vistas comuns e divergentes lembrando as suas histórias de vida – expectativas, realizações, sonhos, medos e decepções acumuladas por mais de meio século.  Em comum, uma real perplexidade diante das transformações pelas quais o mundo vem passando, mudando profundamente as relações sociais em todos os aspectos que seriam inconcebíveis pelos seus avós.
A dupla fala do medo urbano com humor sem deixar de abordar os tópicos principais com seriedade e sugerir que se pense a respeito da busca dos caminhos que levem a soluções práticas. Só boas práticas podem gerar bons exemplos.


A violência cotidiana, as drogas e o medo compõem um painel de reflexão de dois sobreviventes urbanos que cresceram juntos, se afastaram, caíram no mundo, se reencontraram algumas vezes, e agora se juntam novamente para fazer um balanço do que viram.  Temas como inclusão, diversidade e cidadania são discutidos com opiniões em geral divergentes, mas sempre concordam de que a única saída viável para a Sociedade é a Educação que tem a responsabilidade que formar as próximas gerações. Gerações que, espera-se, desenvolvam menos distorções e tenham mais valores éticos que as anteriores.
Guto Maia, professor e educador, falou da falta de cordialidade social e o fundamental apoio à Educação como frente de formação de pessoas mais preparadas para minimização da violência, e como as Artes Marciais podem contribuir para o equilíbrio emocional, psicológico e físico de homens, mulheres e crianças.

O professor e educador Guto Maia, falou da sua experiência dos últimos 6 anos de convivência com a formação de atletas profissionais de ponta, e da falta de cordialidade social cotidiana. Expressou sua convicção num fundamental apoio à Educação, e da imprescindível revalorização do professor como frente de formação de pessoas mais preparadas para minimização da violência. Expôs como as Artes Marciais podem contribuir para o equilíbrio emocional, psicológico e físico de homens, mulheres e crianças. Também falou o quanto pode ser ingênuo o discurso de tentativa de repressão às drogas. Elas venceram, e isto requer discussões educacionais e estruturais muito mais amplas. Como tudo passa pela vontade política e de grandes interesses, a dificuldade se potencializa, exigindo mobilização, envolvimento, engajamento e comprometimento.

Beto Romero, gestor, falou da sua experiência como empresário da área de Saúde,  líder de empresas multinacionais e técnico de futebol, tendo dirigido por muitos anos equipes vitoriosas de Society. Lembrou o quanto a família deixou de ser o principal foco de responsabilidade na criação dos filhos, o que gera distorções na medida em que a responsabilidade é transferida apenas para a escola, com seus professores nem sempre bem preparados e/ou motivados para o papel  de Educador. Como pai, falou da sua experiência positiva  da relação dos seus filhos com os esportes, o que foi determinante para que se tornassem profissionais determinados e competentes, mesmo não se tornando esportistas profissionais.
O bom humor ficou por conta das divergências de opiniões que os palestrantes têm sobre os mesmos assuntos, com a promessa de que para as próximas palestras prepararão mais algumas surpresas para ilustrar de forma prática e didática essas diferenças.
Mas, a principal mensagem que fica é de que a boa convivência só acontece como fruto maior da generosidade e aceitação.

LEIA MAIS:
 (A melhor parte foi a pancadaria entre os palestrantes, rs)
VÍDEOS DA PALESTRA:

Palestra "Violência Urbana e Artes Marciais", com o professor Guto Maia e o gestor Beto Romero, na Universidade Anhembi Morumbi, Campus Centro, dia 8 de maio de 2014.
O evento foi dirigido aos alunos da Cadeira de Pedagogia, com coordenação da Profa.Telma Peralta, para o trabalho das alunas: Erica MagossoCaroliny D'avanzo e Jeane Vital Santana

O convite teve a intermediação de Diego Coelho Dos Santos, MBA em TI e aficionado das Artes Marciais.
(A melhor parte foi a pancadaria entre os palestrantes, rs)



SOBRE AS PALESTRAS
Release

O professor Guto Maia e o gestor Beto Romero, buscam demonstrar de forma bem humorada que a autoestima e a cordialidade urbana são fundamentais para que a convivência social aconteça de forma mais harmônica. Os imensos problemas que resultam em mais violência foram os principais assuntos de reflexão nessa palestra. E como as Artes Marciais podem ser importante na manutenção da saúde física e mental e equilíbrio que a filosofia e disciplina pode trazer para todo indivíduo.