quinta-feira, 3 de junho de 2010

Jyri e Sari: unidos na paixão pelo Jiu-Jitsu!

Entrevista Exclusiva

Os atletas finlandeses Jyri Manninen e Sari Laitinen,  contam porque escolheram o Brasil para  seus treinamentos de Jiu-Jitsu.  Dedicando-se em tempo integral no Centro de Treinamento Demian Maia,  em São Paulo, tiveram 5 meses de  treinamento intensivo, fizeram atuações marcantes em campeonatos  brasileiros e conquistaram várias medalhas.
Nesta semana, embarcam  para os Estados Unidos, onde representarão a
Academia Demian  Maia/Brasa no Campeonato Mundial, em junho, na California, em  busca de mais títulos.


De onde vieram

Natureza pura e  tranquila. Bosques virgens e milhares de lagos. Sol da meia-noite no Verão  ou o crepúsculoLappi azul do Inverno. A constante transformação das estações e  a diversidade das paisagens torna a Finlândia um lugar fascinante —  numa atmosfera calma e com muito espaço.

HelsinkiNa Finlândia, país moderno, o design e os acontecimentos  culturais são fascinantes. Os transportes e outros serviços públicos  funcionam impecavelmente, deixando boas recordações a quem a visita.


Em pleno Verão, com temperaturas ficam em torno  dos 23 ºC, compreendendo os meses de Junho, Julho e Agosto. A  temperatura da água dos lagos sobe acima dos 20 ºC e decresce a partir  de meados de Agosto. O frio mais intenso situa-se aos meses de Janeiro e  de Fevereiro, em que a neve costuma ser mais abundante. Os meses de  Março e Abril já têm temperaturas mais amenas, e com mais sol e neve são  ótimos para o esqui.


A Finlândia é líder mundial em matéria de ensino.
As habilidades dos adolescentes  finlandeses em matemática, ciências e leitura são classificadas como as  melhores entre os 40 países associados, no mais recente estudo PISA da  OCDE sobre crianças em idade escolar do mundo inteiro.


O Programa para a  Avaliação de Estudantes Internacionais, PISA, é uma avaliação  trienal de alunos de 15 anos nos principais países industrializados,  organizado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento  Econômico, OCDE.


A  entrevista


1. Vocês se conheceram praticando  Jiu-Jitsu, na Finlândia? Contem um pouco da história de cada um.


Jyri - Treinávamos na mesma  academia, em 2005 (GB-GYM, Helsínquia -  Finlândia), mas na época Sari estava treinando boxe. Eu estava de olho nela há  muito tempo, mas me sentia covarde, e levou muito tempo até eu criar a  coragem suficiente para começar a conversar com ela. Finalmente superei meus  medos e acabou que ela não era tão assustadora assim! Na verdade, ela era uma  pessoa super legal e eu achei muito fácil de falar com ela (foi a  primeira vez que aconteceu isso comigo!). Gostaria de dizer que nós  nos apaixonamos, compramos uma casa, um carro da família e vivemos  felizes para sempre, com cinco filhos, mas não foi isso que aconteceu. Dois meses depois,  eu viajei para o Brasil pela primeira vez. Eu fiquei oito  meses. Mas,  mesmo durante a minha viagem, ficamos em contato e Sari veio ver-me por  duas semanas no meio da minha estadia. Quando eu voltei da minha  primeira visita ao Brasil, nós ficamos juntos novamente, decidimos que  ainda gostávamos um do outro e estamos juntos desde então. Este foi também o momento  em que eu fiz Sari perceber que o Brazilian Jiu-jitsu é a única  verdadeira arte marcial, e ela trocou de kick-boxing pelo Jiu-Jitsu.


Sari - Foi como ele disse que tudo começou. Treinávamos na mesma  academia, mas só após um ano nos ligamos. Nessa época, ao mesmo  tempo, Demian estava na Finlândia, e tinha realizado um seminário  em Helsique, e ele também estava lutando no evento de MMA Cage. Eu  continuei a formação de kick-boxing até a primavera de 2008. Então comecei a achar o  treinamento um pouco chato e eu queria tentar algo diferente. Na nossa academia podemos  treinar Brazilian JJ, Kick Boxing, MMA, Muay tailandês e boxe, e eu  decidi ir pelo Jiu-Jitsu. A escolha foi bastante  natural, pois Jyri também treinava e ele poderia me ajudar muito. Depois de um tempo eu encontrei meu próprio ritmo de  treino no BJJ e ví que eu poderia evoluir bastante.


2.  Quando resolveram vir para o Brasil? Você se adaptaram rapidamente?  Aprenderam Português?


Jyri - Desde que voltei da minha  primeira visita ao Brasil, eu tive um sonho de voltar ao país. Juntos, a Sari e  eu, começamos a planejar a viagem durante cerca de dois anos,  eventualmente, em segredo. Nós trabalhamos muito,  começamos a poupar dinheiro, vivíamos uma vida modesta e treinavámos  quando podíamos. Sempre tivemos o objetivo - Brasil - em nossas mentes.  Eu acho que uma pessoa finlandêsa acha fácil adaptar-se ao estilo de  vida brasileiro. A comida não é muito diferente da nossa e as pessoas  são ótimas e solícitas. A coisa mais difícil de se acostumar é com a falta de  pontualidade do brasileiro, particularmente. Se o  treinamento está marcado para começar às 11h00 realmente começa às  11h30 :)
Eu fiz dois meses de aulas de português na minha primeira  viagem e depois que eu me dediquei a tentar aprender ouvindo e falando.  Acho que posso dizer que eu posso falar português, apenas não muito  fluente - ainda!


 


Sari - Os bilhetes para a nossa viagem nós  compramos, em abril de 2009. Eu estava procurando por vôos mais baratos  para os E.U.A. para onde vamos agora para o Mundial BJJ desse ano, e por  acaso eu achei realmente bilhetes baratos para Rio de Janeiro. Tudo o  que tínhamos a fazer era sair antes do ano de 2010 e ficar pelo menos um  mês. Isso foi perfeito para nós. Depois tínhamos os bilhetes que  estavam apenas esperando a data de 31.12.2009, a data de nossa partida.
Como
Jyri disse, é muito fácil de se adaptar à cultura  brasileira. Gosto das pessoas daqui, a comida é boa, o clima é agradável  e quente (a maior parte do tempo) e eu gosto da língua também. Tenho  aprendido algumas palavras em português, mas não tanto quanto eu  gostaria. No início Jyri estava me ensinando algumas noções  básicas, mas quando comecei a treinar realmente duro nós não tivemos  tempo nem energia para estudar. Então eu tento escutar atentamente o que  as pessoas dizem e como dizem e tento aprender dessa maneira. A TV  ajuda. Eu assisto programas em Inglês e tento ler as legendas em  português ao mesmo tempo e aprender algumas palavras dessa maneira. Até o  final da nossa viagem, espero ter aprendido muito mais do que eu sei  agora!


3. Porque escolheram o Centro de  Treinamento Demian Maia?


Jyri - Cerca de cinco anos atrás, Demian estava dando um seminário na nossa academia, na Finlândia. Eu  comecei a conhecê-lo um pouco depois, e eu estava totalmente rendido à  sua técnica de Jiu-jitsu. Ele fez isso parecer tão fácil e eu queria  saber o mesmo Jiu-Jitsu. Foi quando eu fiz minha primeira viagem ao  Brasil para a Academia Demian Maia. Acho que naqueles dias não  havia muitos "gringos" em volta e minha aceitação na academia foi  incrível. Eu adorava o Brasil, São Paulo, dos caras da academia e o  nível de meu jiu-jitsu ultrapassou meus sonhos mais otimistas. Durante  minha visita tive oportunidade de conhecer melhor Demian no  dia-a-dia, e posso chamá-lo um bom amigo. Então, para responder por que  escolheu o Demian Maia Training Center? Para nós, a escolha foi  natural.

4.  Qual a rotina de treinamento que vocês mantiveram nesses 5 meses? Como  foram recebidos?



Jyri & Sari - Nos primeiros 3 meses, nos dedicamos à nossa formação de jiu-jitsu. Nós treinávamos mais ou menos duas vezes  por dia, cinco dias por semana. Sábados e domingos descansávamos. Este  período foi muito importante para nos adaptarmos aos treinamentos e  melhorar a nossa técnica. O nível aqui é bastante diferente do que temos  na Finlândia. Nos últimos dois meses, venho treinando três vezes por  dia, duas vezes + jiu-jitsu, e um treinamento de apoio (exercícios funcionais,  musculação, treinamento em circuito), cinco dias por semana. Há algumas  semanas dos campeonatos, mudamos a nossa rotina, mas basicamente, essa é  a rotina do nosso treinamento. Foi verdadeiramente um passeio...


5. Quais  os Campeonatos em que vocês participaram, e quais as premiações?


Jyri - Eu tive meus altos e baixos. Mas,  para citar alguns, eu lutei o Paulista I Etapa e fiquei em segundo lugar  na minha categoria (superpesado) e terceiro no Absoluto. Eu luto na  categoria faixa roxa. Nos campeonatos brasileiro CBJJE eu ganhei a minha  categoria após quatro lutas duras! Treinei muito forte para chegar e  vencer!


Sari - Tenho participado muitos campeonatos aqui no Brasil, porque  depois de muito treinamento, eu posso testar o resultado em alguém do  mesmo tamanho e do mesmo nível. Eu só ganhei a minha faixa azul em  fevereiro e no começo estava realmente nervosa de imaginar como eu me  sairia. O primeiro campeonato de faixa azul, o Paulista, eu tinha três  lutas e eu ganhei a minha categoria. Eu também competi no Brasileiro, em  São Paulo. Na minha categoria (leve), havia apenas 3 meninas. Eu tinha  duas lutas e ganhei o campeonato. Eu competi também em SP na Copa  Paulista etapa II, mas nesse eu perdi minha primeira luta.


6. Como  vocês esperam sair-se no Mundial, dos Estados Unidos?




Jyri - Bem, eu não tenho essa formação dura para apenas  ir lá para ter umas férias, assim que meu objetivo é ser campeão do  mundo no weightcategory (pesado) e de preferência no weightclass (absoluto) também.


Sari - Ambas as nossas expectativas são muito altas, porque temos  trabalhado tão duro. Meu objetivo é conquistar a minha própria  categoria. Eu não estou tomando parte no absoluto.


7. Após o  Campeonato, vocês voltam para o Brasil? Quais os planos para a  carreira?


Jyri - Sim, nós voltaremos para o  Brasil e pretendemos manter o treinamento, mas talvez não tão forte como  nós treinamos nessa primeira metade da viagem. Depois do Mundial é hora  de relaxar um pouco e tentar melhorar a técnica tanto quanto possível.  Quanto à carreira ... Se tudo correr como planejado, você nunca sabe,  pode haver uma chance de transformar um hobby em um estilo de vida. Mas, para ganhar a vida com a arte marcial na Finlândia é muito  muito muito difícil. Vamos ver o que acontece ...


Sari - Eu não pensei propriamente sobre o  Brazilian JJ como uma carreira, eu acho que é algo mais para Jyri.  Mas se ele continuar com essa idéia inicial como ele queria, então  porque não ser um negócio em família?


8. Na  volta para a Finlândia como será a continuidade do treinamento nas Artes  Marciais?
Jyri - Jiu-Jitsu é um estilo de vida para mim e em tudo o que acontece ele está presente, é uma parte disso, de uma maneira ou de outra.


Sari - Para mim também. Claro que sim! É tão bom para você, tanto  física como mentalmente.


9.  Profissionalmente, vocês pretendem viver do Esporte? Pretendem voltar ao  Brasil? Vocês pretendem ter filhos?


Jyri - Meu sonho é ser capaz de viver do  jiu-jitsu. Ensinar os alunos, lutando nos campeonatos, dar seminários em  todo o mundo e eu estou trabalhando duro para alcançar esse sonho. Mas  como eu disse antes, na Finlândia, é muito difícil. Mas vamos ver,  talvez a gente não fique na Finlândia para o resto de nossas vidas. Para  o Brasil eu virei sempre quando tiver  chance. Não só para ver meus  bons amigos e me divertir, mas para aguçar meu jiu-jitsu e aprender a  novos truques no jogo. E de preferência que viria com todos os meus  cinco filhos (quatro meninos e uma menina) que estou planejando fazer!  :)


Sari - De volta a casa que eu trabalharei com crianças, eu já trabalhei numa casa  do serviço social. A ferramenta mais importante no nosso trabalho foram os esportes. As crianças treinavam Judô, pelo menos, duas vezes por  semana, eles gostavam de ir ao ginásio e também fazer um monte de outros  esportes. E  nós fazíamos tudo juntos. Eu gosto do trabalho,  especialmente porque eu não tenho que sentar em um escritório e olhar  para um computador oito horas. Espero que possamos voltar  ao Brasil, espero que ano que vem ou já num futuro próximo. E como Jyri disse,  espero vir com toda a família;)


10. Em  nome da Academia Demian Maia,  quero deixar nosso agradecimento pela  entrevista,  e afirmar que tivemos muito orgulho da presença de vocês, e  que vocês serão muito bem vindos sempre. Boa sorte nas suas carreiras,  que certamente serão brilhantes. Até breve!


Jyri & Sari - Muito  obrigado! Tudo  o que conseguimos nos últimos meses foi graças à Academia Demian  Maia!



Jyri  Manninen Sari Laitinen
Assista aqui vídeos de lutas de Jyri Manninen
Veja fotos de Sari em campeonatos

Graduação de Sari:  faixa azul das mãos do mestre Demian Maia



Yuri e Sari casaram-se na volta para a Finlândia!
Game Over

Para saber mais sobre a Finlândia visite:Embaixada da Finlândia no Brasil

Entrevista Exclusiva 

Suporte: